Papa e Patriarca pedem paz e solidariedade entre os povos

O Papa Francisco e o Patriarca Bartolomeu I assinaram neste domingo, 30, uma declaração conjunta reafirmando suas intenções e preocupações comuns. Eles abordam a situação no Oriente Médio e a consequente necessidade de paz e também destacam que é preciso solidariedade entre os povos. A assinatura do documento foi um dos últimos compromissos do Santo Padre na Turquia, sua sexta viagem internacional. 

Acesse
.: Íntegra da declaração conjunta
.: Todas as notícias sobre a viagem do Papa à Turquia

O documento expressa a gratidão de Francisco e Bartolomeu I a Deus pelo dom deste novo encontro. Eles já haviam se encontrado em maio, na visita de Francisco à Terra Santa, e em junho, no encontro de oração que reuniu, no Vaticano, o então presidente de Israel, Shimon Peres, e o presidente da Palestina, Mahmoud Abbas.

Francisco e Bartolomeu reiteram, na declaração assinada hoje, seus esforços a favor da promoção da unidade plena entre todos os cristãos, sobretudo entre católicos e ortodoxos. Eles não deixam de mencionar no documento sua preocupação com a situação no Iraque, na Síria e em todo o Médio Oriente. “Estamos unidos no desejo de paz e estabilidade e na vontade de promover a resolução dos conflitos através do diálogo e da reconciliação”.

Uma atenção especial, nesse contexto, é para a presença cristã na região, o que já se constata há mais de dois mil anos. “Não podemos resignar-nos com um Médio Oriente sem os cristãos (…) Muitos dos nossos irmãos e irmãs são perseguidos e, com a violência, foram forçados a deixar as suas casas. Até parece que se perdeu o valor da vida humana e que a pessoa humana já não tem importância alguma, podendo ser sacrificada a outros interesses”.

O documento aborda ainda os grandes desafios que o mundo enfrenta e que exigem a solidariedade de todas as pessoas de boa vontade. Muçulmanos e cristãos são chamados a trabalhar, juntos, por amor da justiça, da paz e do respeito pela dignidade e os direitos de cada pessoa.

Recordando as pessoas que sofrem com a guerra, o Papa e Bartolomeu I rezam, em particular, pela paz na Ucrânia, país com uma antiga tradição cristã. “Apelamos às partes envolvidas no conflito para que procurem o caminho do diálogo e do respeito pelo direito internacional para pôr fim ao conflito e permitir que todos os ucranianos vivam em harmonia”, acrescenta.

O texto é finalizado com um pedido para que todos possam erguer orações a Deus  pedindo o dom da paz, no amor e na unidade, a toda a família humana.

Benção ecumênica

Antes da assinatura da declaração, o Papa e o Patriarca Ecumênico participaram da Divina Liturgia na Festa de Santo André. Ao final da celebração, eles concederam uma benção ecumênica a todos os que participaram do momento de oração.

Fonte: ntoticias.cancaonova.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *