Papa manifesta solidariedade à Nigéria

O Papa Francisco enviou uma carta aos Bispos católicos da Nigéria, manifestando a sua solidariedade às comunidades cristãs que têm sido vítimas de ataques terroristas ao longo dos últimos anos, em particular do grupo ‘Boko Haram’.

“Muitos nigerianos foram mortos, feridos ou mutilados, raptados e privados de tudo: dos seus entes queridos, da sua terra, dos seus meios de subsistência, da sua dignidade e dos seus direitos”, escreve Francisco numa missiva divulgada nesta terça-feira, 17 de março,  pela sala de imprensa da Santa Sé.

O Papa recorda os “consideráveis problemas” que afligem os nigerianos, apontando o dedo a “novas e violentas formas de extremismo e fundamentalismo, com bases étnicas, sociais e religiosas”.

“Muitos não conseguiram regressar às suas casas. Crentes, tanto cristãos como muçulmanos, vivem uma experiência trágica, às mãos de pessoas que se dizem religiosas, mas que pelo contrário abusam da religião para fazer dela uma ideologia dos seus próprios interesses de exploração e morte”, acusa Francisco.

A mensagem manifesta a solidariedade do Papa a “todos os que sofrem”.

“Lembro-me de vós todos os dias nas minhas orações”, revela.

A reflexão sobre a atual situação na Nigéria, o “gigante africano” com mais de 160 milhões de habitantes, recorda o papel central deste país no seu continente e no mundo.

“Damos graças ao Senhor por tantos homens e mulheres de todos os quadrantes sociais, culturais e religiosos, que com grande determinação enfrentam de forma concreta todas as formas de violência, cujos esforços são destinados a favorecer um futuro mais justo e seguro”, escreve.

O Papa elogia a ação da Igreja Católica num contesto de “tantas provações e sofrimentos”, por ser capaz de “testemunhar a hospitalidade, a misericórdia e o perdão”.

“Não vos canseis de fazer o que está certo”, apela Francisco.

“Acompanhai as vítimas, socorrei os pobres, educai os jovens, tornai-vos promotores de uma sociedade mais justa e fraterna”, pede ainda.

A Conferência Episcopal Nigeriana denunciou em finais de fevereiro o clima de terror que se instalou no país, devido à ação do grupo terrorista islâmico ‘Boko Haram’.

“Entristecemo-nos o uso de jovens inocentes doutrinados pelo Boko Haram e utilizados como autores suicidas de atentados; deploramos que as crianças sejam usadas para cometer estes crimes”, assinalaram.

Fonte:agencia.eccles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *