Pregações do segundo dia do Congresso de Músicos convocam à humildade

O segundo dia do Congresso Nacional de Músicos Adoradores teve abertura com um longo momento de oração. Eugênio Jorge ministrou o louvor e conduziu os participantes a clamarem o Batismo no Espírito Santo.

A primeira pregação do evento foi feita pelo coordenador nacional do Ministério de Música e Artes, Juninho Cassimiro, que abordou o tema: “Só os humildes podem adorar”. Em sua fala destacou duas passagens importantes para a história do povo de Deus: Moisés e a sarça ardente e o sim de Maria.

Segundo o coordenador, Moisés não tinha conhecimento de onde estava entrando, por isso entrou de qualquer jeito. “Mas Deus lhe deu a ordem: tira as sandálias dos pés, pois o lugar que estás é santo. É necessário tirar as sandálias, porque nossas sandálias estão impuras, nos desapegar. O Senhor quer nos fazer santos”, afirmou.

Juninho também explicou que os participantes estão no Congresso não apenas pelo evento em si, mas estão diante de Deus. E exortou: “você não vai para o seu Grupo de Oração simplesmente para cantar, você vai para estar diante de Deus. E precisamos fazer como Moisés que escondeu o rosto e não ousava olhar para Deus, este é um ato de humildade. Sem humildade é impossível adorar a Deus”.

Partilhando uma visualização dada aos coordenadores estaduais do Ministério no Brasil, Juninho disse que, neste Congresso, Maria estava passando à frente da vida de cada um, pegando em sua mão e conduzindo ao caminho da humildade.

“Maria não estava perto de Jesus quando ele foi aclamado em Jerusalém. Mas, estava aos seus pés quando foi condenado como um bandido. Maria fugia das honras e por que nós ainda queremos reconhecimento, elogios? Os artistas não precisam de fã clube, precisam de intercessores”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *